terça-feira, 23 de dezembro de 2014

sessenta dias.




uma espinha na garganta
todos os dias
a lembrar-me que pela boca morre o peixe.

"nunca digas nunca."
outra vez, para aprenderes.

sentir-te o amor
sentir o amor
sentir-te sair
de casa.

da impotência
nada a fazer.
sem medo, como um abraço
posso adormecer tranquilo:
"fui feliz."
e da distancia a visão.
espaço. tempo. dimensão.

diz que da dúvida nasce o caminho
para onde?

luz. ]

ninguém vê as coordenadas
de olhos abertos.

~

faz-me falta.
[esse] amor.



segunda-feira, 22 de dezembro de 2014