quarta-feira, 29 de outubro de 2014

.






2 comentários:

Mal Amado disse...

O Diabo tocou me no meio de tanta escolha. Quem sabe qual foi a sua ideia quando no meio de tanta maldade, eu fui o que mais o atraiu. Talvez tenha sido a minha fraca pessoa tenho para mim. Menti e ludribiei e nada ganhei. Larguei o Diabo e esqueceu me apenas por uns dias para meu tormento apenas para me cravar mais uma estaca que confesso já esperava. Já foste contaminado meu caro diz Ele e agora tenho outros para tomar o teu lugar. Resta me insónias durante a noite e o sentimento de estar a dormir acordado durante o dia. Será que vou alguma vez ter uma saída desta espiral infernal? Pergunto isto porque sou fraco, sinto me fraco e estou devastado.

gonçal∅ incendiàrio disse...

A escolha. O privilégio de fazer a escolha errada.
Deus e o Diabo, e repara que escolhi aqui, excepcionalmente maiusculas para a eles me referir, são dois putos de cinco anos a brincar com isto.
O amor e uma cabana? O amor e uma que abana?
O que não te mata amolece-te, atira-te ao chão e dá-te porrada como se não houvesse amanhã.
Mas há amanhã.
Todas as feridas saram. Nenhuma se cura é verdade, mas saram. Dizem as frases cliché que a vida só se compreende para trás mas só se vive para a frente.
Balelas ou não, há sempre uma saída. há sempre uma saída limpa. Livrai-nos senhor do desejo de sua conspurcação.