sexta-feira, 4 de julho de 2014



encontrei-te sem querer.
não é dificil, dadas as circunstâncias.
o teu nome continua gravado em todo o lado, em tanta coisa.
é dificil olhar "a tua imagem", sobretudo quando ela já vai longe, confesso
olho estas peliculas com mais de um ano, esquecidas, perdidas


encontro-te. olho-te. pergunto-me:

quem és tu agora?





a melhor parte: até na sequência da pelicula desvaneces gradualmente até te tornares nada.




[  ]



quem te viu e quem te vê.


2 comentários:

I. disse...

lindo!

gonçal∅ incendiàrio disse...

há uma beleza diferente e particular, peculiar, na tragédia.
é esse o carisma do sarcasmo e do humor negro, sobretudo quando se manifestam com todo o requinte.
fica um obrigado ;)