terça-feira, 10 de junho de 2014

Ø



Há um vazio que cresce. E a cada segundo que passa, mais um segundo de silêncio. Como que preencher o vazio com mais vazio. Um buraco cheio de nada. Dizes 'amanhã'. Mas a unica coisa que eu sei sobre essa palavra é que é longe. Como aquela musica dos Rádio Macau. Um dia alguém me ensinou que não há tempo. Muito menos há tempo para se lhe fazer intervalos. O vazio não espera. Não pára de crescer. E ainda por cima não houve primavera. Que foi feito da estação das paixões? Já não vem. E mesmo que venha, já não chega a tempo. Há um buraco que fez um vazio que criou uma angustia  que deitou por terra o que uma corrente de ar levou num suspiro. E agora é só um vazio que cresce. Como que um vazio a preencher o vazio com mais vazio.

2 comentários:

Patrícia disse...

Vi aqui ler-te, beijinho grande*

Patrícia disse...

Vi aqui ler-te, beijinho grande*