quinta-feira, 11 de novembro de 2010




nada a dizer, apenas pele










skin
©acoldzero

2 comentários:

eu disse...

apenas pele?! não existe "apenas pele". a pele nunca é apenas... a pele é o toque, o sentir, o reconhecer. é o cheiro (único de cada pele). o sabor da pele na pele dos lábios. é o arrepio, a quentura, o escaldar e a febre. a pele queimada... e o gelo na pele quando precisa de outra. é a ferida a sangrar e a cicatriz. a transparência que mostra as veias azuis e o bater do coração nos calcanhares. são todas as linhas das mãos e os sinais. e as marcas de nascença. a pele macia, a pele áspera. a cor. as nódoas negras. as marcas da luta... e mesmo que mudes de pele em cada transformação, em cada metamorfose, o que sentes não sai, porque a tua pele és tu. e tu és na tua pele. dói-me a pele dos olhos e eu não entendo nada, nada do que escreves.

acoldzer∅ disse...

repara que a citação começa com "nada a dizer". o 'apenas' refere-se às palavras, a esse acto de dizer. não retira qualquer valor à pele. são coisas distintas.
mas obrigado pelo apontamento.