segunda-feira, 29 de março de 2010

Sigo-te pelo espelho retrovisor enquanto me afasto lentamente em direcção à caverna. Do lado de cá pareces sublime e curvilínea, ideia cliché mas apetecível, como não podia(s) deixar de ser. Fico a observar-te, voyeur, como quem te quer mas não pode, e vejo-te desaparecer suavemente por entre as linhas demarcadas dos edifícios. Fictício. Não és própriamente tu mas a ideia que carregas, tal qual todas as outras. Não são iguais, mas transportam algo em comum.
Dizes-me até amanhã, que tem de ser que te vais, mas amanhã sabes bem, talvez seja longe demais. Canta a canção. Entretanto ouço outra. Uma instant street vinda de outro além. já não sei ao certo o que a letra diz mas sinto aquele feeling.
Alguma vez te disse que gosto de tipas com sardas?




Photobucket

7 comentários:

mariana, a miserável disse...

e claro que sabias que eu ia perguntar,, quem é quem é?
a quantidade de pessoas com sardas à tua volta..(inveja, porque só tenho sinais e também gosto de mulheres com sardas)
e tu..ninguém em especial, mas eu sei quem é..
cá te espero

fabiana.santos disse...

o que é que as sardas te dizem? gostas apenas por achar que fica bem?

a cold zڠro disse...

dizem-me coisas por dentro. falam-me. e sim. ficam muito bem. se há coisa que dá aura e charme a uma mulher são sardas (não é cá cigarros nem coisa que se lhe valha.. são sardas!).
pergunta do dia: quem és tu e porque é que afinal tens um blog em branco? (afinal são duas perguntas)

fabiana.santos disse...

que coisas por dentro é que te dizem?
bem, é só para seguir os meus blogs que gosto de ler.

a cold zڠro disse...

pergunto-me o porquê do teu interesse compulsivo pela minha fixação por sardas. queres explicar?

fabiana.santos disse...

curiosidade, apenas.

a cold zڠro disse...

:) ok. (too much curiosity, i must say)
dizem-me coisas que não consigo explicar. sensações. como que borboletas na barriga. chama-lhe um fetiche se quiseres. não será muito diferente disso.*