terça-feira, 31 de janeiro de 2012


ainda não passaram 24h e aqui estou outra vez, desta feita com um spam mais ao meu género.
a StrictlyBass convidou-me, e eu aceitei o desafio: um podcast.
abri a gaveta e procurei. procurei-me. e resolvi fazer uma tracklist de mensagens subliminares, quer através do nome das musicas, quer daquilo que se ouve nelas. é uma paisagem sonora. uma viagem.
estão à vontade para partilhar as vossas emoções ou eventual ausência delas. estão à vontade para partilhar por aí. eu agradeço.



segunda-feira, 30 de janeiro de 2012



Nunca fui muito dado ao spam no blogger, excepto quando se trata de trabalho pessoal.
Hoje abro uma excepção.
Os meus irmãos de armas decidiram abrir o baú de tesourinhos e revelar finalmente ao mundo o trabalho que andam a desenvolver desde 2009. É uma bela viagem, que eu aconselho, mas eu sou suspeito.


terça-feira, 24 de janeiro de 2012


Não é a primeira vez que publico isto. Como dizia a Samson: a repetição como forma de sedimentação.
É mais uma. Ali. No ultimo minuto. No ultimo fôlego mesmo antes de terminar.

The Broadway Project - London Broken Beat




Quem me conhece sabe que o elemento fulcral do meu trabalho e o elemento com que maioritariamente me relaciono é o 'Tempo'. A duração das coisas, a intensidade com que se nos atravessam o corpo ou a mente, o impacto que tem em nós e aquilo que nos provoca e nos transforma. O Tempo. É por isso que a minha ferramenta de trabalho é o fogo. Um acto performativo e aleatório em que soltamos um demónio ao chão e o observamos atentamente desenhar-nos a sua essência e influência, todo esse processo de tempo, em que o fogo reage sobre uma superfície e deixa aquela marca, como que uma cicatriz que revela a ferida que sentimos dentro do peito.
Na minha relação com o tempo, existe um outro processo, este de cariz mental, de associar imagens a peças sonoras. É inevitável para mim, como que se as imagens, ainda que estáticas, possuíssem uma ambiencia que se pode relacionar directamente com determinadas melodias, ou frases, refrões. Para mim as imagens nunca são objectos estáticos. Muito pelo contrário. São um arsenal de emoções que ocorrem na minha cabeça através daquilo que os meus olhos vêem. E essas emoções tendo uma duração, ora mais lenta, ora mais longa, são assim todo um ensaio a decorrer, carregado de acções, movimentos, sentimentos ou sons, que as traduzem e as definem da forma que melhor entendo.


segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

Virar a página e mudar subtilmente de capítulo. Mais tarde ou mais cedo acontece, mas preciso sempre ganhar alguma vantagem sobre os meus demónios, sob o risco de, não o fazendo,  dar por mim assombrado de assalto por eles, assim inesperadamente. No terreno lamacento é sempre preciso olhar com atenção a ver onde pomos os pés, não vá uma pessoa escorregar e mergulhar de cabeça.
Algo que a vida me ensinou foi que o tempo dá lugar às coisas, põe-as no sitio, revela-lhes a razão. Disseram-me um dia: Quando o mundo inteiro está errado, e tu é que estás certo, desconfia!



Sam KDC - Dote (a tribute to nostalgia)


domingo, 22 de janeiro de 2012



é ali. no ultimo minuto. no fim da história.
amanhã conto outra.
*
(a musica é do Sam KDC, a imagem é minha)
*

domingo, 1 de janeiro de 2012